Imagem capa - Escotilha por Fabio Barella

Escotilha

ESCOTILHA


- Olho pela escotilha do celular e vejo que estou a mais de 3000 mortos de profundidade.

Há muito tempo já não tenho certeza de  que a capsula de clausura que me rodea é segura. Não posso afirmar que essa pressão não me afete. Posso estar simplesmente, já intoxicado pela loucura e tendo como manifestação a alucinação de que estou bem.

Estou bem?

- Olho pela escotilha do pc e vejo conhecidos sendo apanhados pelo demônio invisível. 

Cada vez mais conhecidos, mais próximos. 

Me lembro de aviso que vi num livro: “A maior artimanha do diabo é convencer as pessoas de que ele não existe.” 

Pessoas em festas, na praia, de mascaras no que queixo negando a realidade. 

Do diabo a jogada de mestre nunca foi tão acertada. 

“Isso é politicagem... será que está morrendo isso tudo mesmo?..."

"Tem prefeito dizendo  que morreu mais gente pra receber verba extra do governo...” 

E o diabo faz as contas direitinho, não mata a todos que afeta, faz dos descrentes assintomáticos um caminho, um atalho, um túnel e pega assim até aquele mais precavido na fresta de um mínimo vacilo.

- Olho pela escotilha do presente e vejo, aqueles que não posso abraçar e beijar por agora e o pior é não saber até quando e se quando. 

Medo que o diabo os leve ou me leve. 

Gente minha que a situação não dá outra alternativa que não seja sair no breu dessa meia noite eterna com um trapo amarrado na cara e um pote improvisado de álcool-gel na bolsa para honrar as contas do fim do mês.

- Olho com meu olho cético e marejado pela escotilha da história e vejo sem acreditar. Que fizemos para merecer esse lugar? A pior situação possível com a pior pessoa possível no controle dos nossos destinos. 

Me olho pela escotilha do espelho e vejo, a cada tossida sem sentido um desespero. Espero que seja só o excesso de cigarro. Um velho na fila do benefício tosse continuamente, quando arruma um breve espaço para respirar é providente e anuncia: “Enfisema pulmonar, minha filha.” 

A senhora um pouco mais atrás comemora fazendo o sinal da cruz. “Graças a deus.”


FBarella

Ouça aqui  no Voticontá